Blog

Risco de câncer nos esportes ao ar livre

Caprichando no protetor solar: a dupla brasileira de vôlei de praia Ana Patricia Ramos e Eduarda Santos Lisboa, a dupla Paty e Duda, nos jogos da Juventude.

O CÂNCER DE PELE responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, estimando-se cerca de 180 mil novos casos. Longos períodos de exposição ao sol são frequentes na prática de esportes ao ar livre como CORRIDA, FUTEBOL, CICLISMO, VÔLEI, NATAÇÃO, por exemplo. A lista de preparação para as competições e para os treinos, que inclui equipamentos, hidratação e reposição energética, precisam OBRIGATORIAMENTE do acréscimo dos mecanismos de proteção solar como a aplicação da loção (protetor solar), viseira ou boné e óculos escuros.

Os TIPOS DE CÂNCER mais comuns são os carcinomas basocelulares e espinocelulares. Apesar de mais raro, o melanoma é o mais agressivo. Entretanto, se detectado precocemente as chances de cura são de mais de 90%.

 

ATLETA OLÍMPICO DESCOBRE MELANOMA GRAÇAS A ALERTA DE FÃ

Fã observou a mudança de aspecto de uma das “pintas” do atleta: caracteristica de um melanoma.

Um caso curioso e bastante ilustrativo foi o do nadador australiano Mack Horton medalhista de ouro nas Olimpíadas do Rio em 2016.

Leia a matéria: Medalhista da Rio-2016 agradece fã que o alertou sobre tumor de pele

Um fã observou uma pinta enegrecida no tórax do nadador e enviou um e-mail alertando-o para o fato. A lesão foi retirada precocemente e o diagnóstico de melanoma confirmado.

Atleta agradece o alerta já com o melanoma removido.

E você? Está em dia com a sua pele? Procure sempre uma avaliação pessoal com um dermatologista da sua confiança.